FATORES NEURAIS RELACIONADOS COM A FORÇA MUSCULAR

23 Dez

 

A produção da força muscular é um fenômeno que desperta bastante interesse na área das ciências do esporte devido sua importância para a realização de diferentes tarefas generic viagra uk forum enfrenta nas demandas da vida diária, assim como, nas demandas altamente especializadas, como no esporte de alto rendimento. A capacidade motora força apresenta grande complexidade devido às suas diferentes formas de manifestação e componentes. O modelo de estruturação desta capacidade motora proposto por Schmidtbleicher (1997) é um bom instrumento didático que auxilia na compreensão e no estudo aprofundado da capacidade de produção da força muscular. Neste modelo o autor ilustra a interdependência das formas de manifestações (força rápida e resistência de força) e de seus componentes (força máxima, força explosiva e capacidade de resistência à fadiga) que influenciam diretamente no desempenho da força muscular.

 

Fatores morfológicos e fatores neurais são determinantes na produção da força muscular. (CORMIE, 2011). Os fatores morfológicos que influenciam diretamente na produção da força são: o tipo da fibra muscular, as características do arranjo arquitetônico do músculo, como a sua área de secção transversa (anatômica e fisiológica), ângulo de penação e comprimento das fibras, além das propriedades dos tendões (SPECTOR et al., 1980; WIDRIEK et al., 2002; KUROKAWA et al., 2003).
Os fatores neurais relacionados com a produção da força muscular são: o recrutamento de unidades motoras, a frequência de estimulação das unidades motoras, sincronização ou coordenação intramuscular, coordenação intermuscular, ativação dos músculos sinergistas e a co-contração dos músculos antagonistas (CORMIE, 2011). Outros mecanismos como o tipo de ação muscular e a capacidade de armazenamento e de utilização da energia elástica também exercem efeitos na produção da força (KOMI, 1986).

Diversos pesquisadores têm dedicado atenção especial para investigar a influência dos fatores neurais na produção da força muscular (CARROLL et al., 2002; GABRIEL et al., 2006). São muitas as pesquisas na literatura que concluem que o treinamento leva a um aumento da força muscular e que as adaptações neurais poderiam ser a explicação para este aumento (ENOKA & FUGLEVAND, 2001; AAGAARD, 2002; KAMEN & KNIGHT, 2004; GRIFFIN & CAFARELLI, 2005). Sendo assim, é fácil deduzir que os diferentes mecanismos neurais que podem fundamentar o aumento do desempenho de força muscular representam um aspecto teórico relevante para o profissional de Educação Física, em especial para aqueles que estão envolvidos na área do treinamento esportivo.

 

 

Estruturação da Capacidade Motora Força

A capacidade motora força é complexa e apresenta duas diferentes formas de manifestação, a força rápida e a resistência de força. Ligados às formas de manifestação estão os componentes, força máxima, força explosiva e capacidade de resistência à fadiga como pode ser visto no modelo de estruturação proposto por Schmidtbleicher (1997) na figura abaixo: